Autenticidade é a principal preocupação do nosso site. A Equipe Prettynew estuda cada peça recebida e garante que os produtos vendidos são 100% autênticos!

Todos os itens passam por um processo de autenticidade rigoroso e específico para cada marca. O nosso time inspeciona todos os itens, desde códigos, números de série específicos, etiquetas de holograma, material do produto, ferragem e costura.

Apesar de os preços parecerem baixos em alguns itens, isso não compromete de maneira alguma a autenticidade do produto. O preço do produto é estabelecido junto com a fornecedora, e essa pode preferir vender sua peça mais rápido, disponibilizando-o por um preço mais atrativo.

Caso ainda se sinta insegura, a Prettynew se compromete em devolver o valor integral pago pelo produto, se, em caso raríssimo, se confirmar a improcedência do produto. Basta não retirar a etiqueta e nos contatar através do e-maill: contato@prettynew.com.br. Nós temos como compromisso a qualidade e autenticidade dos produtos disponíveis no site.

  • Balenciaga

As bolsas da marca Balenciaga possuem uma etiqueta interna com um código/número de série. As ferragens devem ser grossas e arredondadas (não fina ou quadrada), além disso, os rebites devem ser arredondados e não quadrados. Os zíperes devem ter o nome “Lampo” gravados.  A bolsa Balenciaga tem uma característica única, que é o couro envelhecido. Ele vai ficando ainda melhor com a idade. Desde a coleção de Outono/Inverno 2007 a marca começou a usar couro de carneiro ao invés do couro de cabra, devido a escassez do mesmo.  

  • Hermes

Os couros e peles exóticas usadas nas bolsas Hermès são provenientes de todo o mundo, portanto a marca usa apenas couros de altíssima qualidade. A cor da bolsa é muito importante para se certificar quanto a autenticidade,  o mesmo não deve aparentar ser pintado. Os metais utilizados pela marca são muito únicos e específicos. A maioria das Birkins possuem quatro “pregos” para pés, porém, os tamanhos maiores podem ter uma linha de “pregos” no meio também.

As bolsas Birkin possuem dois selos: um selo de calor “heat stamp” com o nome Hermès e o carimbo cego “blind stamp”, que indica o ano que a bolsa foi feita e o artesão que a criou - dessa forma , se você precisar de concertar algo, a bolsa pode ser devolvida ao mesmo artesão Hermès para reparos.  O selo de calor, é impresso em folha metálica combinando com a cor dos metais, mas o carimbo cego deve ser pouco visível. As imitações, muitas vezes, fazem o selo cego maior ou mais pesado/grosseiro. Enquanto os autênticos são difíceis de ver, as réplicas os torna evidente.

  • Bottega Veneta

As bolsas Bottega Veneta possuem um ‘Intrecciato’, trabalho com o couro trançado, perfeito. O material clássico usado pela Bottega é o couro Nappa, porém também vemos materiais especiais utilizados para edições limitadas. Atualmente, todas as bolsas Bottega Veneta têm uma pequena etiqueta de autenticidade retangular costurada no forro, normalmente no bolso interior. Esses rótulos são off-white com letras pretas , e estão escritos na frente " Bottega Veneta - MADE IN ITALY " ou apenas “BOTTEGA VENETA” , e atrás têm um número de série ou modelo. Em bolsas vintage, os revestimentos de tecido podem ter impresso " Bottega Veneta ", " BV ", ou o selo de borboleta frequentemente usado pela marca. Os zíperes utilizados são sempre de alta qualidade e não devem deformar. Quase sempre todos os metais utilizados na bolsa devem ter a logomarca gravada e devem seguir um padrão. Por exemplo: se o zíper da bolsa é bronze então todo o resto da ferragem deve ser bronze.

  • Chanel

A Chanel possui adesivos de assinatura em holograma que contém um número de série, normalmente consistindo de 7 ou 8 dígitos. O número deve coincidir com o do cartão preto de autenticidade (se o mesmo estiver disponível).

Estes hologramas mudaram muito ao longo da última década, antes da década de 1980, as bolsas não tinham adesivos de holograma ou cartões de autenticidade, mas mesmo assim existem outras maneiras de garantir a autenticidade de sua bolsa vintage. A logomarca gravada na parte interna da bolsa deve sempre ter escrito “CHANEL” (normalmente na mesma cor da ferragem da bolsa) e deve estar com espaçamento correto e alinhado. O “patchwork” da bolsa Chanel clássica deve se encaixar perfeitamente quando o “flap” é fechado, fazendo com que o alinhamento da parte externa se encontre com o do “flap”. Quanto a ferragem “CC”, o C da direita deve passar por cima do C esquerdo no topo e embaixo deve ser o contrário (o esquerdo por cima do direito).

  • Chloé

Todas as bolsas Chloé, são feitas apenas de materiais excelentes. O couro ou camurça deve ser macia e suave e a costura deve ser uniforme e sem falhas. Dentro do bolso interno há um numero especifico de série.

  • Christian Dior

As bolsas da marca Dior possuem um número de série normalmente localizado no interior da bolsa, no verso da etiqueta da marca. Além disso, o saquinho protetor que vem com a bolsa deve ser de algodão branco com a logomarca em cinza.

  • Fendi

A marca Fendi utiliza um tecido Canvas com o logo “FF” invertido. Os “F’s” nunca devem se tocar em uma bolsa autêntica. A fivela “FF”, como aparece na famosa Baguette, deve ser simétrica com o ‘braço’ dos “Fs”, não ultrapassando a metade da fivela e as outras ferragens devem ter escrito ‘Fendi’ também.

Outra bolsa famosa, a Spy, no topo do fecho deve ter uma espécie de vidro transparente chanfrado. O porta-moedas deve estar fixo por parafusos de cabeça chata e deve ter uma dobradiça de duas peças. O trabalho trançado das alças e fecho também deve ser observado, averiguando que as tranças continuam ate as bordas, permanecendo bem fixo e perto das costuras.

O lançamento mais recente é a Fendi 2Jours e 3Jours. Este modelo possui uma barra de metal no comprimento da abertura superior da bolsa, que deve ser bem fixado por 4 parafusos hexagonais.  Além disso, toda Fendi feita após 1980, deve vir com um número de série estampado no forro ou gravado em uma etiqueta interior. Quando houver uma etiqueta de couro ou prata no interior, deve ter escrito “Fendi Made in Italy”. O número de série é um número 15 a 17 dígitos.  

As bolsas Fendi mais recentes devem possuir uma  etiqueta em holograma, verifique que a mesma tem um grande efeito holográfico, pois até algumas boas falsificações podem possuir um adesivo.

  • Gucci

Os “GG’s” do tecido Canvas devem estar alinhados simetricamente, legíveis e de fácil visualização. As bolsas devem ter uma etiqueta interna com a marca estampada e o escrito “Made in Italy”. Atrás dessa etiqueta você encontrará um código de fabricação interno. O GG do couro deve ser sempre gravado em baixo relevo, não estampado. As ferragens devem ser pesadas e bem feitas, normalmente acompanhadas pela logomarca. Os zíperes devem ser sempre de metal ou plástico, se for de metal deverá ter a logomarca gravada. Nos também olhamos o saquinho que acompanha a bolsa (quando disponível). O mesmo deve conter a logomarca bem estampada, sem estar embaçado.

  • Jimmy Choo

Nas bolsas autênticas Jimmy Choo, o escrito ‘JIMMY CHOO’ deve ser sempre em letras maiúsculas, além de estar centrado entre as "cabeças" dos parafusos. As ferragens e fechos da marca são sempre pesadas.

  • Marc Jacobs

As bolsas da marca Marc Jacobs possuem um código de serie e o símbolo ‘RiRi’, ‘Lampo’, ou ‘MJ’ nos zíperes.

  • Prada

As bolsas da marca Prada sempre acompanham um cartão de autenticidade de plástico, aproximadamente do tamanho de um cartão de credito, que contém um número de série, nome do material da bolsa e cor, além de um código de barras. Além disso elas devem conter no bolso interno uma etiqueta branca pequena com 2 ou 3 números escritos em preto.  

As bolsas da marca Prada estão entre as mais difíceis de citar qual a melhor forma de analisar os detalhes de autenticidade, pois cada estilo possui revestimentos, zíperes e materiais exclusivos. Checamos sempre as ferragens, costuras e detalhes de acabamento. Um truque dos zíperes das bolsas Prada é que eles sempre têm uma das marcas: ‘Lampo’, ‘IPI’, ‘Opti’, ‘riri’, ou ‘ykk’. Outro truque é que algumas bolsas possuem o interior com o forro ‘jacquard nylon’ exclusivo da marca. O forro original é composto de uma linha  com o desenho de uma corda e outra com o logo ‘PRADA’ repetidamente em linhas alternadas. A cada linha o logo ‘PRADA’ aparece de cabeça para cima e depois de cabeça para baixo, e assim repetidamente.  Outro detalhe importante e que podemos notar é no logo principal: o ‘R’ de ‘PRADA’ deve ter a perna da frente levemente curvada, logo abaixo deve ter escrito “Milano” e não “Milan” e o ano deve ser “1913”.

  • Miu Miu

A logomarca deve sempre ter o nome da marca escrito separadamente “Miu Miu” e não juntos como um palavra só. A etiqueta interna, quando houver, deve ter escrito “Made in Italy” ou “Made in Turkey” pois são os únicos dois lugares de fabricação. A marca deve sempre estar gravada nos zíperes e alguns tem escrito “Lampo” ou “IPI” atrás. Quando disponível, cheque o cartão de autenticidade, ele deve ser cinza claro e impresso em um estilo de papelão, com “Miu Miu” gravado na frente em prateado. Os saquinhos originais são na maioria rosa salmão ou cinza com a etiqueta em preto e branco “Miu Miu” costurada. Eles também podem ser branco com a logo em cinza/prata. As costuras são sempre bem feitas e regulares. A grande maioria das bolsas possuem uma etiqueta numerada pequena no bolsinho interno.

  • Valentino

As peças da marca Valentino são fabricadas somente com materiais de altíssima qualidade, não obtendo aspecto irregular ou áspero. Além disso, toda a costura deve ser perfeita e alinhada. Os ‘studs’ presente em várias peças da marca deve ter sempre a forma de pirâmide, além de a mesma dimensão e espaçamento entre eles. O logomarca deve ser sempre ou estampado no couro ou costurado em forma de etiqueta no interior da bolsa. Próximo a 2011 a marca mudou o ‘MADE IN ITALY’ para baixo do escrito ‘GARAVANI’.  Nos últimos anos a marca também aderiu aos números de série, localizado dentro do bolso interno, normalmente costurado na lateral interna do bolso. Um truque para identificação dos sapatos é que o número de um Valentino original está sempre escrito no número italiano, não americano.

  • Yves Saint Laurent

As bolsas da marca, que a partir de 2012 se chama apenas, Saint Laurent, possuem um número de série (atualmente de 6 dígitos) gravado no interior. Além disso, a etiqueta interna da marca deve estar sempre alinhada e as costuras e acabamentos devem estar impecáveis.

  • Louis Vuitton

Ao invés de números de série, as bolsas Louis Vuitton possuem "códigos de data " que indicam quando e aonde o produto foi feito. Os códigos são compostos quase sempre de letras e números e encontram-se estampados em etiquetas ou diretamente sobre os revestimentos, sempre no interior da peça.

Além de um código de data válido e devidamente carimbado são também analisadas:

-     as ferragens da peça, sempre com o logo ‘LV’

-     a estampa em monograma ‘LV’ (deve ser sempre simétrica e as costuras perfeitas, com o mesmo número de pontos de cada lado).

Existem sim bolsas autênticas sem código de data. Algumas bolsas autênticas que possuem o forro em Alcântara podem ter códigos que são quase impossíveis de ler ou que desapareceram com o tempo, também pode acontecer com peças mais antigas ou que foram lavadas. Quando este é o caso, essas peças são analisadas de acordo com outras caraterísticas que uma peça autentica Louis Vuitton deve ter.

 

  • Celine

As bolsas Celine que possuem a logo estampada na parte externa devem ter escrito CELINE com acento agudo no primeiro “e” e “Paris” embaixo. A fonte do logo não pode ser grossa nem embaçada.  A logomarca interna deve ter escrito “Made in Italy”.  Na maioria das bolsas você encontrará um número de série gravado. Os números e letras não são únicos portanto podem ser repetidos. Eles sempre devem conter este formato: uma letra, duas letras, quatro números. Fique atenta a números de series que começam com “S-GA”pois muitas réplicas usam esse prefixo. Ao contrário de outras marcas, a Céline não coloca a marca nos zíperes. Estes não devem conter escrita alguma. Nas bolsas Luggage os zíperes devem sempre ter um aspecto antigo mais fosco, não deve ser brilhoso. Os couros utilizados pela marca são sempre de altíssima qualidade, com a costura e acabamento sempre impecáveis.